Técnica chinesa pode ser usada para combater a dor e como auxiliar em todas as patologias. Saiba como funciona o tratamento.

Joshua tem 14 anos e frequentemente tinha infecções nas vias respiratórias e rinite. Todos os métodos e remédios foram testados e nada. Só depois de começar um tratamento complementar de acupuntura conseguiu o reforço necessário para a sua imunidade e conseguiu melhorar. A história seria comum, se não fosse um detalhe: Joshua é um gato.

A acupuntura para animais funciona do mesmo jeito como funciona para os humanos. A diferença entre elas é basicamente o tamanho e a espessura da agulha. E o assunto não é novidade, a acupuntura é usada para ajudar nos tratamentos veterinários desde os antigos tempos da Dinastia Chang, que durou do ano 1765 a.C. até 1123 a.C., e era usada nos cavalos feridos dos sacerdotes.

A milenar Medicina Tradicional Chinesa (MTC) pode ser uma grande aliada no combate de dores, quadros alérgicos, respiratórios, digestivos e ainda serve para fortalecer a imunidade do bichinho. Em resumo, todas as patologias podem ser tratas com acupuntura.

A médica veterinária e acupunturista Áurea Daia Barreto explica que a técnica não é dolorosa e não machuca. “Pelo contrário, ajuda a aliviar as dores. Normalmente assim que a agulha é inserida no corpo do animal ela traz um bem-estar praticamente imediato, então eles se acalmam e ficam tranquilos”.

“Atendo em casa, escolho um lugar onde eles ficam à vontade, chego de forma segura, não uso jaleco branco para que eles não associem ao veterinário, então eles me enxergam como uma figura amiga. Não uso método de contenção, nem nada. Nas primeiras sessões pode acontecer deles estranharem um pouco, ficarem agitados, mas vão se adaptando”, explica Áurea.

Na prática

A médica Débora Rodrigues Nunes Tessis tem 10 gatos. A idades dos animais varia entre três e 14 anos. Quatro deles precisam da terapia complementar: Baruk, 8 anos; Aninha, 10 anos; Joshua e Petruccio, 14 anos.

Baruk tem artrite no ombro e como só tem um rim, tem restrição ao uso de anti-inflamatórios. Aninha tem luxação no quadril e precisaria de cirurgia. Petruccio precisa de reforço na imunidade e queda de pelos. Todos eles encontraram alívio com a acupuntura.

Débora gosta muito dos tratamentos chineses e diz que seus animais toleram bem a agulha e ficam tranquilos durante as sessões.

Para todas as idades e dores

A acupuntura pode ser trabalhada de forma preventiva, em filhotes cujo os pais já tenham histórico de problemas de saúde ou complementando outros tratamentos. “Toda a medicina chinesa pode ser usadas nesses casos. Fitoterapia, eventualmente uma dieta, massagem. Faço toda essa parte para aliviar os sintomas”, explica a veterinária.

O método chinês é um ótimo aliado principalmente em problemas de locomoção. Em muitos casos, o animal que sentia tanta dor a ponto de não andar, melhora. Áurea explica que quando não é bloqueio, hernia, calcificação ou doença degenerativa, a acupuntura pode devolver o movimento do pet.

O número de sessões depende muito da patologia e do estado do bichinho. “Às vezes o animal tem um quadro de dor aguda, está sofrendo bastante, marco três vezes na semana e conforme ele for melhorando vamos espaçando as consultas. Até porque, na primeira semana já tem uma boa melhora. Quando é para tirar o animal de uma crise ou problema emergente faço a previsão de 10 sessões. Depois quando é só pra manter pode ser uma vez por semana”, diz Áurea.

A veterinária diz que os preços variam de acordo com a patologia do cão ou gato, únicos animais que trata, e do lugar que o cliente mora, pois os atendimentos são feitos exclusivamente em casa.

A técnica ainda é pouco procurada, principalmente por todas as vantagens que oferece. Embora a procura pelo serviço tenha aumentado bastante, o número de profissionais que trabalha com acupuntura e o número de veterinários que indica como tratamento auxiliar é pequeno.

“Ela é um complemento extraordinário para diversos tratamentos que são feitos nas clínicas veterinárias. A acupuntura pode acelerar o processo de recuperação do animal”, enfatiza a veterinária acupunturista.

Procure profissionais capacitados

  • A acupuntura é reconhecida como uma especialidade desde 1995 pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (Abravet).
  • Certifique-se de que o veterinário escolhido está habilitado para praticar a acupuntura para cães e gatos. Só o profissional saberá lhe informar se a técnica é recomendada para a situação do animal, após examiná-lo.

 

DF acupuntura ajuda animais4

A ponteira de laser é opção sem agulha para o tratamento.

DF acupuntura ajuda animais8

Fonte: Olhar Animal

Deixe uma resposta