Bichos de Estimação: Chinchila

Esse roedor super fofinho é originário da América do Sul e, no início do século XIX, finalzinho do século XVIII, o Chinchila quase foi extinto, isso porque muitos eram assassinados devido a sua linda e sedosa pelagem, para a confecção de casacos, estolas e outros artigos. 

Para se ter uma ideia do quão perto o Chinchila chegou da extinção, é preciso de 80 a 100 Chinchilas para fazer apenas um único casaco de pele. E é graças a um senhor americano chamado Mathias F. Chapman, que, em 1918, esse bichinho começou a ser salvo. Chapman conseguiu capturar 11 Chinchilas, levou-os para os Estados Unidos e passou a criar os peludinhos, que hoje ganharam o status de bichinho de estimação.

O Chinchila é um roedor encantador

O Chinchila é um mamífero e, assim como Coelhos e Porquinhos da Índia, pertencem à classe dos roedores, mas são de uma família diferente, a Chinchillidae.

  • Coloração: variações de tons de cinza, e podem haver até beges. Existem Chinchilas brancos, mas eles são muito raros.
  • Expectativa de vida: de 10 a 20 anos.
  • Pelagem: muito macia, sedosa, relativamente longa, brilhante.
  • Altura: até 30 cm, a maioria não ultrapassa 15 cm.
  • Peso: de 600 g a 1,8 kg. A fêmea é geralmente maior do que o macho.
  • Classe: odentia.
  • Família: Chinchilidae.

Temperamento

Os chinchilas são animais de hábitos noturnos, e esse é o melhor momento para interagir e brincar com o bichinho, mas isso não significa que não possam ficar bastante ativos durante o dia.

Esses peludos são surpreendentemente inteligentes e travessos, bastante sociais e precisam de carinho e atenção. Quando trouxer o Chinchila para casa, seja ele um filhote ou um adulto, não espere que ele seja carinhoso e brincalhão logo de cara, ele certamente será um pouco tímido. Construa um relacionamento, com direito a carinhos, brincadeiras e, claro, petiscos.

Apesar dos Chinchilas variarem bastante em temperamento, a maior parte deles é mais calma e doce, alguns são mais reservados e é incomum ver um chinchila agressivo.

Esse bichinhos não se importam de serem manipulados ou acariciados. Na verdade, eles gostam bastante e costumam escalar o dono em busca de afeto e atenção. Cuidado com suas garrinhas, essas escaladas podem lhe render arranhões no pescoço!

Os Chinchilas têm um instinto natural de roer, afinal, são roedores, e se ele der mordidinhas em seus dedos ou mesmo no lóbulo de sua orelha é um sinal de afeto! O ato de roer também funciona como uma higiene bucal e mantém os dentes limpos e afiados.

Como os peludinhos devem ficar a maior parte do tempo em suas gaiolas e só serem soltos sob supervisão, proporcione entretenimento. O papelão, por exemplo, faz a alegria desses roedores, eles vão picar e roer, e podem até ingerir, o que em pequenas quantidades não representa perigo algum.

Donos de uma memória incrível, se eles forem mal tratados, vão se recordar do sentimento, associá-lo à pessoa que os fez sentir assim e dificilmente a confiança será reconquistada. Por isso não são muito indicados para crianças, já que essas costumam não ser muito delicadas.

Esses bichinhos costumam ser bem silenciosos, ocasionalmente soltam uns guinchos, uns gritinhos, que podem denotar alegria e excitação, mas a maior parte dos sons que vêm com um Chinchila estão ligados ao ato de roer ou à organização constante que realizam em suas gaiolas.

A gaiola do chinchila

A gaiola deve ser feita de arame, do contrário ele vai roer todo o material e conseguir escapar em pouco tempo; se for de vidro, o espaço se torna uma verdadeira estufa e o bichinho vai morrer pelo calor!

Certifique-se de que o fio não é pintado ou revestido com plástico, ou o Chinchila poderá ingerir esse revestimento. A tela de arame deve ter espaços não maiores do que 2,5 cm a 5 cm. Algumas gaiolas têm fundos de malha de arame com bandejas que facilitam a limpeza, mas esses fundos não são recomendados para os Chinchilas, isso porque suas patinhas e garras são muito delicadas e podem facilmente se prender na malha de arame, não importa o quão pequenininha ela seja.

Chinchilas gostam de correr e brincar, e sua gaiola deve ser grande o suficiente para permitir que ele se exercite dessa forma. Um Chinchila que não corre e brinca certamente ficará infeliz!

Não deixe a gaiola em um local onde haja correntes de vento, exposição ao frio e chuva ou mesmo ao calor ou sol direto, o chinchila prefere temperaturas amenas!

Cuidados, higiene e limpeza

O Chinchila toma banho sozinho, e sua gaiola precisa de uma faxina geral apenas uma vez por mês.

Os Chinchilas requerem poucos cuidados, o básico é que a bandeja da gaiola seja limpa uma vez por semana. No entanto, se você tiver mais de um Chinchila na mesma gaiola, o recomendado é que se faça com mais frequência.

Se utilizar jornal na gaiola, troque-o todos os dias. Uma vez por mês, a gaiola deve ser totalmente limpa e desinfetada. Durante essa grande faxina, o Chinchila deve ser relocado! Se mantida limpa, a gaiola do Chinchila exalará pouquíssimo cheiro.  Na hora da higiene, preste atenção aos cantinhos da gaiola, pois são nesses lugares que eles costumam fazer xixi. Você também pode polvilhar bicarbonato de sódio no local, isso ajuda a absorver os resíduos e eliminar o odor.

Vale lembrar que eles são muito sensíveis ao calor, então deixe a gaiola em um local bastante arejado e esteja preparado para providenciar um ventinho nos dias mais quentes. Chinchilas apreciam brisas leves que lhes alivie o calor em dias de verão, mas isso não quer dizer que você deve expor seu bichinho a rajadas de vento fortes. Tudo deve ser realizado com moderação para garantir o conforto do peludinho!

Quanto à higiene do seu bichinho, isso vai dar ainda menos trabalho. Chinchilas são livres de quaisquer tipos de odor.

Alimentação do Chinchila

A alimentação do Chinchila deve ser rica em grãos, sementes e folhas. Você pode encontrar em pet shops rações de altíssima qualidade, especial para chinchilas, e combiná-la com algumas folhas e até cenouras, isso é o suficiente para deixá-lo satisfeito e saudável.

Passas, nozes, frutas e vegetais com alto teor de açúcar e gordura devem ser evitados, afinal o bichinho também pode ficar obeso! Sempre deixe água fresca à disposição e troque a ração, mesmo que ele não tenha se alimentado, duas vezes ao dia.

Esse peludinho encantador venceu a extinção e hoje ocupa o lar e o coração de muitas pessoas, inclusive no Brasil, onde vem ganhando cada vez mais espaço. É uma ótima opção de pet para quem passa o dia todo fora, já que ele estará dormindo, não sentirá sua falta, e, quando você chegar, ele estará disposto a lhe receber com muitas brincadeiras e carinho. É limpo e de fácil cuidado, além de ser bastante longevo e não apresentar muitos problemas de saúde.

No entanto, antes de comprar ou adotar um Chinchila, certifique-se de que você tenha um veterinário apto a cuidar desse bichinho tão especial.

E aí? Animou-se para ter um Chinchila?

Fonte: Bolsa de Mulher

Deixe uma resposta