Mordida de cachorro em crianças: conheça os perigos e como elas mais acontecem

As mordidas de cães são lesões comuns e potencialmente graves em crianças. Isso geralmente acontece pois elas não conseguem interpretar os sinais de irritação dos pets e quais brincadeiras podem não ser aceitas por eles. As lesões provocadas por raças de grande porte precisam de cuidados mais imediatos, em um hospital de trauma pediátrico, a fim de otimizar o curso da hospitalização e o resultado final do tratamento. Confira quais os perigos e quais são os casos mais comuns de mordida de cachorro em crianças!

Características e abordagem de tratamento

Um estudo realizado no hospital Maria Fareri Children’s Hospital of Westchester Medical Center, em Nova Iorque, incluiu 108 crianças com mordidas complexas de cães atendidas durante 2012 a 2014. Os pacientes eram 61 meninos e 47 meninas, com idade entre 5 meses e 18 anos; a maioria estava na faixa etária entre pré-escola e ensino médio. Quase 60% das crianças tiveram lesões na cabeça e no pescoço, enquanto cerca de 30% tiveram lesões nos braços, mãos, pernas ou pés. “O tratamento incluiu encerramento da ferida na sala de emergência, em cerca de 39% das crianças; na maioria dos casos, a consulta com cirurgiões plásticos e outros especialistas é necessária. Outros 21% dos pacientes necessitam de cirurgia no centro cirúrgico, às vezes, com enxertos de pele ou outros procedimentos reconstrutivos. Cerca de 27% das crianças foram internadas no hospital após o tratamento inicial. Nove pacientes exigiram hospitalização prolongada de quatro dias ou mais, mais comumente por causa da infecção”, afirma o cirurgião plástico Ruben Penteado.

Principais casos

As informações sobre as raças de cães mordazes estavam disponíveis em 56 casos. Os pitbulls eram a raça mais comum, representando 48% das feridas. Outras raças comuns era pastores alemães, e dentre os cachorros pequenos, os terriers. “A cirurgia foi necessária em cerca de metade das lesões causadas por pit bulls, três vezes maior do que a taxa para outras raças. Das nove crianças que necessitaram de hospitalização prolongada, seis foram mordidas pela raça”, explica Ruben. Há algumas limitações no estudo, incluindo a falta de informações sobre a raça de cães em cerca de metade dos casos, porém, os pesquisadores observaram que as lesões mais complexas vieram cachorros de maior porte.

E as consequências?

A natureza penetrante e esmagadora dessas mordidas pode levar a deformidades ao longo da vida. Com base na própria experiência de atendimento desses casos, os pesquisadores descreveram um conjunto de diretrizes para o tratamento de mordidas complexas de cães em crianças. Eles dividiram as lesões em quatro grupos, com tratamento orientado pela gravidade da lesão. Nas duas categorias mais graves (lacerações complexas ou perda completa de tecido), recomenda-se admissão hospitalar e cirurgia.

Fonte: Portal Alto Astral

Deixe uma resposta