Falta espaço? Quer organização? Saiba escolher o cão ideal

Ter a companhia de um cãozinho pode melhorar muito o ambiente do lar. Se você não vê a hora de ter um animalzinho do seu lado, mas se preocupa com o espaço da casa para poder recebê-lo, é bom analisar alguns fatores antes de escolher qual será a raça do seu melhor amigo.

Para começar, é preciso responder algumas perguntinhas básicas. É o que indica a veterinária Giulliana Tessari, do Grupo Pet Center Marginal. “Será que a raça requer escovação diária, terei tempo para fazer isso? Uma caminhada rápida irá deixá-lo satisfeito? Em qual horário serão os passeios? Ele vai se dar bem com os meus filhos pequenos? Será que latirá com frequência, incomodando os vizinhos? Essas questões e outras devem ser respondidas para garantir a saúde física e mental de humanos e cães”, aconselha. Veja em qual situação se encaixa e escolha o cão ideal:

Moro em apartamento – As raças de pequeno porte se adaptam melhor em lugares mais compactos. É importante que fiquem bem quando estão sozinhos e sejam sociáveis. Exemplos: Bulldog Francês, Bulldog Inglês, Jack Russel Terrier, Shih-Tzu, Lhasa Apso, Cocker Spaniel, Yorkshire, Spitz, Pastor de Shetland, Poodle e West Highland Terrier. Já os de maior porte, embora até possam se adaptar a apartamentos mais amplos, se dão melhor em casas.

Preciso de um cão silencioso – Os cães latem por motivos distintos. Os de guarda fazem isso como sinal de alerta (Pastor Alemão, Schnauzer, PinScher, Rotweiller, Doberman), já os demais são para chamar a atenção do dono, por ansiedade, medo, solidão e tédio. Esse tipo de comportamento independe da raça. Sabe-se, no entanto, que cães como Shih-Tzu, Lhasa Apso, Husky Siberiano e Akita costumam ser mais silenciosos.

Trabalho o dia inteiro – Todos gostam de cuidados e carinhos de seus donos, mas algumas raças vivem bem sozinhas. Exemplos: West Higland Terrier, Shih-tzu, Teckel, Lhasa Apso, Akita, Pug, Bulterrier, Malamute-do-Alasca, Husky Siberiano, Golden, labrador, Boxer, Beagle e Chow Chow.

Sem tempo para cuidar dos pelos – Todos os cães necessitam de escovação diária, porém os cães com pelagem média e longa exigem tosa e banho com maior frequência, o que envolve disponibilidade de tempo e verba no orçamento. Opte por cães de pelo médio a curto, como Beagle, Basset Hound, Bulldog Francês/Boston Terrier, Bulldog Inglês, Sharpei, Pug (mas requerem a limpeza das dobrinhas pelo corpo), Dachshund (Teckel), Boxer, Pastor Alemão e Pastor de Malinois.

Fico preocupada com as crianças – Algumas raças que são mais indicadas para crianças: West Higland Terrier, Shih-tzu, Teckel, Pequines, Lhasa Apso, Pug, Labrador, Golder Retriever, Cocker Spaniel, Boxer, Beagle, Terra Nova, Pastor Alemão e Poodle. Deve-se, no entanto, tomar cuidados com as raças menores, já que as crianças nem sempre têm noção de que podem machucar os pets com as suas brincadeiras. Entre as raças pouco afáveis aos pequenos: Chihuahua, Jack Russel Terrier, Pinscher, Spitz Alemão, Maltês e Yorkshire.

Fonte: Bolsa de Mulher

Um comentário em “Falta espaço? Quer organização? Saiba escolher o cão ideal”

  1. Estou tendo problemas com minha bulldoguinha francesa de 9 anos,viemos morar aqui em Cancun/Mexico e hj a cadelinha Está aqui tem 3 meses .Um pouco antes de ela vir fez seus exames regulares e para envio para exterior,estavamos acostumando ela a ficar dentro(nunca trancada) da caixa transposrtadora e dormindo ali dentro algumas vezes .Foi quando comecou a apresentar pequenos espasmos curtos e uma vez chegou a levantar a patinha,informamos seu veterinário no brasil e tudo diagnosticava apenas uma ansiedade da viagem ate mesmo porque estava ja 3 meses sem ve-la e minha esposa com ela e suas vacinas estavam em dia.A cachorrinha ficou bem no primeiro mes que chegou,se adaptou bem mas ja no segundo mes comecou a mudar um pouco de temperamento chegando ate mesmo a me morder em uma ocaciosao quando dava um churrasco brasileiro aqui inaugurando nossa chegada.Dali comecou a apresentar espasmos mais frequentes e certo dia apareceu como um edema mole,uma bolsa em sua pata esquerda traseira a mesma que ocasionalmente levantava ,levamos de pronto ao veterianario pois em dois dias tinha aumentado muito e bem vermelho como inflamado.Tivemos muuuuita dificuldade em achar um veterinario que nos transmitisse seguranca fomos em praticamentotodos os mais conhecidos daqui,pesquisamos opinioes na internet verificamos os locais conversamos com alguns antes d leva-la e acreditamos ter feito a melhor escolha.Bem,o veterinario analizou tirou rx e achou parecer mais uma contusao ao algo do tipo e aplicou injecoes no local nos proximos tres dias e realmente regrediu o problema.Infelizmente dali em diante os espasmos pioraram muito toda vez que ela sai para caminhar uns 70 metros ja retorna com muitas dores,rigida ,apresentando alguns nodulos que hora aparecem hora somem,com muita dificuldade quando em crise para dormir buscando posições ,chorando,com dificuldade para respirar,seu torax bem dilatado devido a se apoiar mais nas patas dianteiras… ja retornamos mais de 15 vezes ao veterinario…ela ja passou por antiflamatorio,antebioticos,cortizonas ja vem tomando vitaminas para reposicao de caucio e articulacoes proprio para sua idade ha mais de um mes,por fim fizemos dois exames de sangue bem completos e especificos pois esta pata esuqerda teve perda muscular ,inclusive a cachorra esta mais “ossuda” na cabecinha no quadril e na coluninha dela.Bom pelos exames o veterinario descartou por hora cancer,pelos rx decartou displasia ate porque ela tem as crises e fica muito travada mas quando melhora apos as injecoes volta a ter movimento total perfeito somente com alguma fraqueza nesta pata.O veterinario cre que ela deve ter tido alguma bacteria,organismo que provocou todo este quadro e assim ela foi tratada com antibiotico injetavel e nos recomendou fisioterapia,que nos levassemos aqui para nadar em uma das praias,indaguei pois acabara de se recuperar achava q o repouso por hora seria mais conveniente,pedi-lhe algum medicamento que caso tivesse mais uma crise pudesse aliviar a dor ,me informou que nao seria o ideal pois poderia atacar o estomago e se precisasse retornasse uma vez mais.Levamos ela entao para caminhar um pouquinho com uns 60 metros,ja amanheceu com dores ,apática ,espasmos e respirando ofegante de novo,novamente ,outra vez…Enfim situacao complicada nao acho que o veterinario esteje de ma fe pois muita das vezes nao me cobra as injecoes tampouco a consulta e sempre presta excelente atencao,uidado e a avalia bastante.Mas nao sei ,pois me recomenda exercios para fortifica-la ,alimentacao com proteina,contudo se alimenta bem sem alteracao nas fezes ou enjoos mas se mal saio do nosso condominio ela ja volta toda com dores e ficando travada com inumeros espasmos e outros problemas,sigo dando vitaminas mas me parece que esse mal nao se vai por completo,entendo que devido a idade a perda muscular terao limitacoe s e cuidados mas queria uma opiniao se nao deveria ter remedios caso tenha alguma crise ou se pelos sintomas caracteriza muito alguma doenca,mas suas vacinas sempre estiveram em dia,,por favor ajudem….. Tres meses nisso e a cachorrinha nao consegue ter paz e tenho medo devido ao seu emagrecimento que possa estar tendo alguma outra perda muscular,AJUDEM ….

Deixe uma resposta