donos de gatos

Existem 5 tipos de donos de gatos, segundo a ciência

De acordo com um novo estudo, os donos de gatos se enquadram em cinco categorias em relação a postura de seus animais de estimação.

 

Os cientistas da Universidade de Exeter pesquisaram os proprietários de gatos do Reino Unido e descobriram que eles variavam de “cuidadores conscientes” preocupados com o impacto dos gatos na vida selvagem e que sentem alguma responsabilidade, até “defensores da liberdade” que se opunham completamente às restrições ao comportamento dos gatos.

Os “protetores preocupados” focavam na segurança dos gatos, os “guardiões tolerantes” não gostavam de seus gatos caçando, mas tendiam a aceitá-lo, e os proprietários não intervencionistas desconheciam em grande parte qualquer problema em torno dos gatos que vagueavam e caçavam.

As organizações de conservação há muito se preocupam com o número de animais capturados pela grande população de gatos domésticos do Reino Unido.

A maioria dos gatos de estimação mata muito poucos animais selvagens, se houver, mas com uma população de cerca de 10 milhões de gatos, o número de aves, pequenos mamíferos e répteis capturados pode se acumular.

Além de seu papel de “controladores de ratos“, a maioria dos proprietários acha que os animais mortos trazem para casa uma lembrança desagradável do lado mais selvagem de seu animal de estimação.

A solução deste problema tem sido difícil devido a discordâncias entre as pessoas que priorizam o bem-estar dos gatos e as que se concentram na conservação da vida selvagem.

O projeto de pesquisa em andamento da equipe da Universidade de Exeter ” Cats, Cat Owners and Wildlife” (Gatos, Proprietários de Gatos e Vida Selvagem) tem como objetivo encontrar uma conservação vantajosa para todos, identificando maneiras de proprietários administrarem seus gatos que beneficiem os gatos, além de reduzir a matança de animais selvagens.

Esta pesquisa é um passo para entender como os donos de gatos vêem seus gatos e como melhor gerenciá-los.

Os pesquisadores dizem que suas descobertas demonstram a necessidade de diversas estratégias de manejo que reflitam as diferentes perspectivas dos donos de gatos.

“Embora tenhamos encontrado uma gama de opiniões, a maioria dos donos de gatos do Reino Unido valorizava o acesso ao ar livre para seus gatos e se opunha à ideia de mantê-los dentro de casa para evitar a caça”, disse a autora principal Dra. Sarah Crowley, do University of Exeter’s Environment and Sustainability Institute, na Cornualha.

“Portanto, é pouco provável que as políticas de confinamento de gatos encontrem apoio entre os donos no Reino Unido.

“No entanto, apenas um dos tipos de proprietários considerou a caça como positiva, sugerindo que os demais poderiam estar interessados em reduzi-la por algum meio.”

“Para ser mais eficaz, os esforços para reduzir a caça devem ser compatíveis com as diversas condições dos proprietários”.

As medidas sugeridas para reduzir o sucesso da caça incluem a adaptação de gatos com coberturas de coleira “BirdsBeSafe” de cores brilhantes. Muitos proprietários também equipam seus gatos com sinos.

A equipe de pesquisa está agora examinando a eficácia destas e outras novas medidas e como os proprietários se sentem em relação a elas, com o objetivo de oferecer soluções diferentes.

“Esta última pesquisa que financiamos revela as perspectivas incrivelmente diversas entre os donos de gatos em relação ao comportamento de caça de seus animais de estimação”, disse Tom Streeter, Presidente da SongBird Survival.

“Para que a natureza ‘vença’ e as espécies ameaçadas de extinção prosperem, é necessário uma abordagem pragmática pela qual as opiniões dos proprietários de gatos sejam consideradas como parte de estratégias de conservação mais amplas.”

“O estudo destaca a necessidade urgente de que os proprietários de gatos e conservacionistas trabalhem juntos para encontrar soluções sob medida que sejam baratas, fáceis de implementar e tenham um efeito positivo sobre a vida selvagem e as populações de aves em todo o Reino Unido”.

A chefe do iCatCare de defesa dos gatos, Dra. Sarah Ellis, disse: “A descoberta de que muitos donos de gatos do Reino Unido realmente se preocupam muito com a conservação da vida selvagem e o impacto de seus gatos sobre ela, sugere que alguns proprietários estão receptivos a empregar formas amigáveis de reduzir a caça aos gatos.”

“As intervenções certas poderiam melhorar os esforços de conservação da vida selvagem, manter um bom bem-estar mental dos gatos e, ao mesmo tempo, melhorar o relacionamento gato-humano”.

“Isto seria especialmente verdadeiro para ‘tutores tolerantes’ e ‘tratadores conscientes’, reduzindo o conflito interno de amar um animal que muitas vezes caça outros animais com os quais eles também se preocupam”.

O estudo incluiu 56 donos de gatos, alguns de áreas rurais do Reino Unido (principalmente no sudoeste da Inglaterra) e alguns de áreas urbanas (Bristol e Manchester).

Fonte: O artigo científico foi publicado na revista Frontiers in Ecology and the Environment. Este release foi originalmente publicado na Universidade de Exeter. Tradução de Redação SoCientífica.

Deixe uma resposta