Demônios da Tasmânia

Demônios da Tasmânia retornam à Austrália após três mil anos de extinção

Uma equipe de vários grupos de conservação liberou 26 marsupiais em um santuário na Austrália. Passo é considerado histórico

Um grupo de 26 demônios da Tasmânia foi solto em um santuário de 400 hectares em Barrington Tops, na Austrália. O passo é considerado histórico no país, onde a espécie estava extinta há 3 mil anos.

A soltura, realizada entre julho e setembro deste ano, foi comandada pelo Santuário Aussie Ark, junto com uma coalizão de grupos de conservação de espécies. O presidente do santuário, Tim Faulkner, afirmou que o processo foi semelhante ao movimento que devolveu lobos ao Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos, na década de 1990.

Nesta segunda-feira (5/10), o ator Chris Hemsworth e a esposa dele, Elsa Pataky, ajudaram a libertar 11 espécimes. O casal participou da montagem de armadilhas para levar os animais em segurança para o santuário e também ajudaram na soltura deles no habitat.

O programa de conservação de demônios da Tasmânia é realizado há 16 anos. Os especialistas comemoraram a “incrível e surreal” meta de devolver os animais à Austrália Continental. Os bichos reintroduzidos são jovens e saudáveis e foram selecionados por adequação reprodutiva, o que dará mais chances de aumento da população na natureza.

Ao longo dos próximos anos, eles serão monitorados por meio de armadilhas fotográficas e coleiras com rastreadores, para verificar se estão se adaptando bem à vida na selva.

Extintos por doença

Conhecidos pelo rosnado extremamente alto, mandíbulas poderosas e ferocidade ao confrontar rivais por comida ou companheiros, hoje, os demônios da Tasmânia (Sarcophilus harrisii) ainda ficam classificados como ameaçados de extinção depois que uma doença contagiosa, que provoca tumores faciais, devastou a população remanescente na ilha australiana da Tasmânia.

Segundo Tim Faulkner, o projeto visava criar uma população segura para ser devolvida à natureza, mesmo com o tumor sendo ainda intratável, para restaurar o ambiente nativo. “Os demônios apresentam uma das únicas soluções naturais para o controle da raposa e do gato, e a raposa e o gato são responsáveis ​​por quase todas as nossas 40 extinções de mamíferos (na Austrália)”, esclareceu.

No continente australiano, acredita-se que eles tenham sido exterminados por matilhas de dingos, que são cães selvagens nativos do vasto continente, há cerca de 3 mil anos.

Sem perigo aos humanos

Os demônios (ou diabos) da Tasmânia pesam até 8 kg e têm uma pelagem preta ou marrom, normalmente atacam outros animais nativos ou procuram carcaças de animais mortos.

De acordo com as autoridades ambientais do governo australiano, os demônios não são perigosos para os humanos ou animais. No entanto, eles se defendem quando atacados e causam ferimentos graves . O maior predador nativo da espécie no continente é o tigre da Tasmânia, que também havia sido considerado extinto, mas voltou a ser visto na natureza.

Fonte: Metrópoles

Deixe uma resposta