cães doidões

Cães doidões no passeio? Saiba o que fazer

Inserir o passeio no cotidiano dos cães traz inúmeros benefícios tanto para eles quanto para os tutores. Andar rotineiramente com os cachorros promove boas consequências: previne obesidade e doenças correlacionadas, incentiva sociabilização com outros cães, pessoas e até animais de outras espécies, e proporciona estímulos sensoriais (olfativos, táteis e visuais), além de estimular comportamentos naturais desta espécie, como farejar e caminhar por longas distâncias.

Sabemos também que o passeio, como parte do dia a dia das famílias, é uma das formas de prevenir problemas de comportamento, especialmente para aqueles animais com mais energia, quando o tédio pode gerar consequências desastrosas, como destruição e latidos em excesso.

Mas e quando uma questão comportamental muito comum surge justamente durante a voltinha? Estamos falando daqueles cães extremamente agitados, que só de avistar a guia e a coleira parecem enlouquecer. E todo o passeio, desde a saída de casa, torna-se um verdadeiro tormento.

O mais grave é que, nestes casos, muitos tutores decidem parar de caminhar com os pets, pois essa atividade fica extremamente difícil. E permanecer confinado em casa pode gerar outros problemas comportamentais.

O que fazer então?

A primeira dica para lidar com aqueles cães que já saem de casa muito ansiosos, agitados e latindo sem parar é mudar a forma de interagir com eles.

O momento da saída geralmente é tumultuado. Esses comportamentos ainda dentro de casa tendem a deixar o passeio todo muito agitado e o cão acaba nem aproveitando o momento o tanto que poderia.

Portanto, a atitude mais indicada é deixar a saída sem graça. Fazer deste um momento bem tranquilo, para não incentivar a agitação do cão. Para isso, é preciso fazer tudo muito devagar, sem provocar ainda mais a excitação do pet: colocar coleira e guia calmamente, falar baixo, sentar-se e esperar o cão se acalmar para seguir com o processo ajuda bastante.

Treinar a atenção

Outra dica importante é descobrir alguma recompensa que o cão adore e só usá-la neste momento. Mas aqui é preciso encontrar algo que realmente seja muito motivador, como um petisco bem saboroso.

Com isso, dá para treinar alguns comandos, que serão recompensados com a guloseima deliciosa, pouco antes da saída de casa, o que fará com que o cachorro preste mais atenção neste momento do que nos estímulos do passeio, que o deixam tão agitado.

Simular passeios não muito estimulantes

Como fazer isso? Literalmente “passeando” com o cão em locais que não são nada estimulantes, como na garagem, no hall do prédio ou mesmo dentro da sala de casa.

Dessa forma, é possível mostrar a ele que adotar comportamentos tranquilos e manter o foco no condutor, sem puxões ou agitação extrema, vai gerar recompensas. E fazendo esse treino rotineiramente, o cão passará a apresentar os mesmos hábitos na rua, o que o deixará muito mais tranquilo para que a caminhada seja boa para todos.

É importante ter paciência e agir com consistência para que os treinos surtam o efeito desejado. Valerá muito a pena, pois os cães merecem um bom passeio como parte de suas vidas!

Fonte: Veja SP

Deixe uma resposta