Animais Fantásticos e onde habitam.

O nosso planeta pode ser melhor que uma ficção se tratando da fauna. Graças a seleção natural existem em média 8,7 milhões de especies de animais, 6,5 milhões são espécies terrestres e 2,5 milhões, marinhas. Das mais exuberantes cores, das mais diferentes formas, com incríveis habilidades.

Colugo.
O Colugo é um mamífero arborícola escalador encontrado no sudoeste asiático. Sua principal característica, é a membrana de pele que se estende entre seus membros e lhes dá a habilidade de saltar parciamente planando longas distâncias entre árvores.

Formiga de Veludo.
A formiga de veludo (fêmea) vespa de veludo (macho) recebe este nome devido as cerdas que cobrem seu corpo. As fêmeas não voam e são frequentemente encontradas vagando na terra, assemelhando-se ainda mais com as formigas.

Gorgulho Girafa.
Endêmico de Madagascar, os gorgulhos girafa macho tem pescoços que são duas a três vezes maiores do que as fêmeas, é usado para confrontar outros machos.

Polvo Dumbo.
Vivem basicamente no fundo oceânico em profundidades de cerca de 3.000 a 4.000 metros. Apelidado de “Dumbo “, por suas orelhas de abano que permitem que ele flutue acima do fundo do oceano à procura de comida.

Sapo da Chuva.
Parece uma rocha com braços, essencialmente. São criaturas noturnas que passam a maior parte do dia enterrados sob as dunas de areia. Tem uma vida perturbada por viver em áreas urbanas e agrícolas da África do Sul. Corre sério risco de extinção!

Casuar.
Nativas da Oceania, preferencialmente onde haja um grande número de árvores disponíveis para produzir os frutos de que se alimentam. Neste ambiente o casuar desempenha a importante função ecológica de dispersar as sementes das árvores.

Cigarrinha Planthopper.
Existem mais de 12.500 espécies descritas em todo o mundo. As ninfas produzem cera de glândulas especiais no Terga abdominal e em outras partes do corpo. Estes são hidrofóbicos e ajudam a esconder os insetos. As fêmeas adultas de muitas famílias também produzem cera que podem ser utilizados para proteger os ovos.

Aranha do Mar.
São animais marinhos com distribuição cosmopolita. A dimensão das aranhas-do-mar varia entre alguns milímetros a cerca de 90 cm de diâmetro. Variam de tamanho entre as espécies.

Elefante Marinho.
Existem duas especies desse mamífero, um habita as regiões costeiras da América do norte e Ártico. A outra especie que habita o sul é conhecida como Elefante Marinho Austral. Foram caçados em abundância pela sua pele, gordura e óleos e estiveram à beira da extinção no século XIX. Atualmente estão fora de perigo, a sua caça é proibida e seu único predador é a orca.

Cegonha-bico-de-sapato.
Vive em regiões pantanosas localizadas no centro do continente africano. Alimenta-se, basicamente, de peixes e rãs.

Pangolin.
Eles vivem em regiões tropicais e equatoriais da África e Sudeste Asiático.
São uma família de mamíferos insetívoros não dentados cujo corpo alongado é em grande parte coberto de escamas, sendo também chamado de tamanduá escamoso.

Hemicentetes semispinosus.
Tem habitos noturnos alimentando principalmente de insetos e vermes seu focinho pontiagudo contribui para escavar e encontrar seu alimento. Se ameaçado por um predador erige os espinhos farpados sobre as suas costas e na crista em torno de sua cabeça, apontando-los completamente para a frente. São encontrados nas partes norte e leste de Madagascar.

Polycladida.
Muitos habitam os recifes de corais e são frequentemente confundidos com as lesmas do mar. A maioria alimenta-se de mariscos e mexilhões e, assim como seus parentes de água doce, as planárias, podem ser cortados em pedaços que cada pedaço dá origem a um indivíduo inteiro.

Gavial.
Habita os rios da Índia, Paquistão, Myanmar e do Bangladesh .
O gavial distingue-se dos crocodilos pelas mandíbulas longas e afiladas, pela presença de um longo osso posterior quadradojugal e pela presença de uma protuberância na extremidade do focinho.

Centurio senex.
Pode ser encontrado na Colômbia e Venezuela, México, Trinidad e Tobago. É a única espécie do gênero Centurio. Possui a face enrugada e uma caixa craniana que proporciona ao animal uma mordida muito forte

Peixe -Vaca.
Vive nas regiões pacífico tropical e costa da América do sul. Sua pele possui um veneno capaz de matar os predadores que tentem comê-lo. Não se pode comer já que é venenoso para os humanos.
Para se locomover usa as nadadeiras peitorais, dorsal a anal. Nada de maneira desajeitada e devagar.

Foca-da-Groenlândia.
As focas-da-Groenlândia não vivem em terra firme. São encontradas em grandes colônias no oceano Ártico e no Atlântico Norte, sempre na borda da banquisa de gelo. Fazem buracos no gelo para respirar, e também usam esses buracos para mergulhar na água e pescar.

Antilocabra.
O antilocapra é um animal herbívoro de hábitos gregários, que vive em manadas numerosas. A sua distribuição geográfica estende-se desde o sul dos estados de Saskatchewan e Alberta, no Canadá, à Baixa Califórnia e deserto de Sonora no México. O limite Este é demarcado pelo rio Missouri.

Papagaio-Imperial.
É endémico às florestas montanhosas da ilha-nação das Caraíbas – Dominica, nas Antilhas Menores. Devido ao pequeno número de espécimes, decorrente perda de habitat, captura destinada a venda como animal de estimação e danos ocasionais por furacões, o papagaio-imperial ganhou o estatuto de Ameaçado na Lista Vermelha da IUCN de Espécies Ameaçadas.

Vicunha.
Habita áreas de 3 000 a 4 600 metros acima do nível do mar, no elevado platô andino na região central e sul do Peru, oeste da Bolívia, norte do Chile e noroeste da Argentina. A vicunha está bem adaptada à vida nesse ambiente inóspito. Sua pelagem é constituída da lã da melhor qualidade que se conhece, a qual é valorizada e utilizada pelo homem desde a era pré-colombiana. Esta lã a protege do extremo frio e dos fortes ventos da puna e serve como um acolchoado para o corpo quando descansa no chão. Em comparação com os camelos do velho mundo, a vicunha possui cascos mais profundamente bipartidos, permitindo que caminhe e corra com mais aptidão em encostas rochosas, penhascos e pedras soltas.

Diabo-da-tasmânia.
É um mamífero marsupial da família Dasyuridae endêmico da ilha da Tasmânia, Austrália. Os dentes molares são adaptados à sua dieta de carniça. É um caçador pouco eficiente, preferindo animais de pequeno porte.

Mata-Mata.
É uma espécie de cágado de água doce pertencente à família Chelidae. É a única espécie do gênero Chelus. Encontrada predominantemente nas águas doces da América do Sul, é um animal carnívoro que se alimenta de invertebrados aquáticos e peixes.

Mico-leão-dourado.
Exclusivo da Mata Atlântica brasileira. Ele possui toda a pelagem de cor ruiva a dourada, o que conferiu o nome popular, e possui uma juba derivada de pelos que saem das bochechas, cabeça, pescoço e cobrem as orelhas. Acredita-se que essa cor de pelagem deva-se à ingestão de carotenoides e à exposição à luz solar: observa-se em alguns animais em cativeiro, uma coloração mais clara, e provavelmente isso se deve a dieta deficitária em carotenoides.

Mutum-pinima.
Presente ao sul do Rio Amazonas, na região compreendida entre o Rio Tapajós e o Maranhão, do Brasil central até o oeste de São Paulo, Paraná e Minas Gerais. Alimenta-se de frutos, folhas e brotos de plantas. Caça também caramujos, gafanhotos, pererecas, lagartixas e outros pequenos animais.

Lula Taonius borealis.
Vivem em áreas temperadas do Pacífico Norte em grandes profundidades, chega a um tamanho máximo de 50 cm.

Pato De Crista.
Na época da reprodução sua crista aumenta e sua plumagem fica mais colorida. A fêmea, que é menor e não tem a carúncula sobre o bico, faz o ninho em cavidades de árvores. Põe até 20 ovos, que choca por aproximadamente 1 mês. Os filhotes logo que nascem abandonam o ninho e seguem a mãe.
São aves endêmicas da America do sul e America Central.

Órix.
Habita desertos e planícies áridas da Africa, junta-se frequentemente em grandes manadas. A sua pelagem é acinzentada, parecendo mais ou menos acastanhada dependendo da incidência da luz.

Tubarão-De-Port-Jackson.
Vive em águas australianas, este tubarão alimentam-se durante a noite e passa o dia deitado em fundos arenosos de grutas e fendas. As fêmeas põem cerca de 12 ovos, protegidos por cápsulas em forma de espiral, que enroscam com a boca em buracos e fendas. Um ano depois, os juvenis nascem completamente formados e com cerca de 20 centímetros. Estes passam os primeiros 10 anos de vida em águas pouco profundas e protegidas e só então se juntam aos adultos.

Cobra Nariz de Folha.
Adaptada ao estilo de vida arbícola se alimenta principalmente de lagartos. Sua característica mais marcante é a presença de uma projeção alongada em seu focinho que mais parece um chifre. São encontrados somente nas florestas de Madagascar em perigo de chuva. É venenosa e sua picada pode ser extremamente doloroso para o homem, mas não oferece risco de vida.

Uacari ou Cacajão.
Sua dieta são frutos de casca dura que são ricos em proteína. Quando não encontram, comem insetos, brotos e néctar. Podem ser encontrados nas florestas alagadas do noroeste da Amazônia. É um animal ameaçado de extinção!
Fonte: Neurotopia

Deixe uma resposta