Animais e praia não combinam

Tem dono que não desgruda do pet. Leva ao shopping, supermercado, restaurante e até viaja com ele. Se neste verão, você pretende viajar com o seu bicho para o litoral, atenção: levá-lo à areia é proibido por diversas leis municipais.

Os animais podem transmitir larva migrans, o famoso bicho geográfico. O animal elimina este parasita (ancylostoma braziliense) pelas fezes. A larva penetra na pele do ser humano quando há o contato com a areia contaminada pelo excremento.

O veterinário Marcelo Quinzani, de São Paulo, acredita que o bicho geográfico seja o maior perigo oferecido pela presença de animais na praia.

– Outras zoonoses não se propagam por conta do calor e da areia, é o caso da leptospirose.

Quem é flagrado com o animal na areia ou no mar, pode ser intimado a deixar a praia e até ser multado (em valores de aproximadamente R$ 100). Quem exerce essa fiscalização é o Centro de Controle de Zoonoses de cada município. Em alguns casos, o animal pode até ser apreendido.

– Existem associações de moradores no litoral que se encarregam de fazer esse controle. Há praias menores que até aceitam bichos, mas sempre verifique se há uma placa de proibição.

Talvez, deixar o bicho em casa em vez de levá-lo à praia, não seja tão chato para o pet. Para Quinzani, os animais não aproveitam a areia e o mar como os humanos.

– O calor é desagradável e os animais sofrem muito com isso. O bicho vai brincar na areia, entrar no mar, mas por querer acompanhar o dono, principalmente os cães, que são fiéis.

Além da proibição por lei e do incômodo que os bichos podem sofrer indo à praia, eles ainda estão sujeitos a contrair doenças.

– Animais soltos na rua, com sarna, sem dono e sem vacina é mais comum no litoral do que nas áreas urbanas. Isso é um risco para os humanos e para os cães. Há maior facilidade de o bicho contrair viroses.

Outro alerta

Mais uma doença que preocupa quem tem mamíferos de estimação é a dirofilariose, conhecida como verme do coração. O parasita que causa tal enfermidade é transmitido por mosquitos e é letal para os bichos.

Animais que vão ao litoral com frequência devem tomar medicamentos preventivos todo mês ou antes de viajar.  Aliás, Quinzani lembra que os pets devem ser medicados em todo caso de viagem, não só por conta desta doença.

– Antes de viajar com o animal de estimação, tem que dar vermífugo para que ele não elimine o bicho geográfico. As vacinas anti-rábica e V10 também devem estar em dia. Voltando, retome as medidas, com exceção da vacina, que dura um ano.

Fonte: R7

Deixe uma resposta