maus-tratos

Alemã é denunciada por maus-tratos a cavalo em Tóquio 2020: ‘Crueldade’

Associação de proteção animal entrou com queixa contra a pentatleta Annika Schleu por ‘crueldade’ contra o cavalo

A forma como pentatletas olímpicos agiram durante Tóquio 2020 segue repercutindo. Após a treinadora Kim Raisner ser expulsa da Olimpíada por um soco dado no cavalo Saint Boy, a pentatleta Annika Schleu, que guiava o animal, também foi denunciada. Uma associação alemã de proteção animal prestou queixa contra a esportista por maus-tratos ao cavalo durante prova nos Jogos Olímpicos.

Em provas de pentatlo moderno, na fase de hipismo, os atletas têm 20 minutos para se acostumar com o cavalo nunca montado por eles. Na polêmica envolvendo Anikka Schleu, o animal apresentava dificuldades para saltar. Diante da recusa, a treinadora Kim Raisner foi flagrada acertando um soco no cavalo. Ela foi expulsa de Tóquio 2020 por decisão da União Internacional de Pentatlo Moderno (UIPM).

Segundo comunicado da Associação Alemã para a Proteção dos Animais (Deutscher Tierschutzbund), ambas foram acusadas de “crueldade com os animais” e “cumplicidade na crueldade com os animais”.

– É claro que um atleta focado no ouro olímpico está sob enorme pressão no momento, mas isso não é desculpa para crueldade com os animais – declarou Thomas Schröder, presidente da associação.

Em entrevista ao jornal Die Zeit, Schleu disse que não foi “extremamente dura” com o cavalo, mas afirmou que poderia ter agido com ‘um pouco mais de calma’.

Também em Tóquio, outro caso chamou a atenção para o esporte. Depois de sofrer uma lesão ‘irreparável’ na perna direita, o cavalo Jet Set, do suíço Robin Godel, teve de ser sacrificado. A polêmica teve grande repercussão internacional e levantou debates sobre o uso de animais na Olimpíada.

Fonte: Lance

Deixe um comentário