raça pug

10 curiosidades incríveis sobre a raça pug

Os pugs estão entre as raças favoritas dos brasileiros

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem no Brasil cerca de 52,2 milhões de cachorros, tornando os doguinhos os pets favoritos dos brasileiros. Os vira-latas são a maioria, afinal é difícil não se apaixonar por eles.

Mas ainda assim, existem aquelas raças que acabam caindo na graça de todos, como os pugs. Eles estão entre as favoritas do país. Com o pelo curto e a cara enrugada, o cãozinho originário na China conquista a todos.

1 – Sim, ele é chinês

Por mais que esse cachorrinho “domine” a Europa, assim como o shar-pei, os pugs são chineses. Cães semelhantes a eles foram encontrados na China por volta de 1700 a.C. Acredita-se que a raça surgiu do cruzamento de lo-sze, lion dog e o pequinês.

2 – Companheiros

Diferente de muitas raças que no passado eram usadas como cães de guarda, os pugs sempre foram tidos como cães de companhia, e por isso foram levados à Europa no final de século XVI, como presentes dos chineses aos comerciantes europeus. Inclusive, é um animal dócil que se adapta a todas as idades e tende a criar forte relação com os tutores.

3 – Pequeno príncipe

Após ser dado de presente aos europeus, os pugs logo caíram na graça de todos, inclusive da realeza. Ele era o pet preferido de Josefina, esposa de Napoleão Bonaparte. Além disso, Maria Antonieta também tinha um pug. Os cãezinhos realmente se popularizaram após caírem nas graças da nobreza.

4 – Características únicas

O pug é um animal de pequeno porte, pesando entre 6 e 8kg, atingindo a estatura média de 30 centímetros. Entretanto, o mais marcante no cãozinho são os olhos “saltados” e as rugas profundas na face. Além disso, sua cauda enrolada para cima é um charme.

5 – Teimosia

Não dá para afirmar se trata de uma característica especial aos cães chineses, mas assim como o shar-pei, o pug é um cão bastante teimoso. A raça ocupa a 53º posição na lista de inteligência de adestramento. É um animal que tende a ter suas próprias vontades.

6 – Gulosos

Os pugs costumam gostar muito de comer e têm uma tendência à obesidade. Por isso, o tutor deve ter cuidado com a quantidade e qualidade de ração que fornece ao animal. Além disso, passeios frequentes precisam fazer parte da rotina diária desse cãozinho.

7 – Dificuldade na respiração

Por conta do focinho muito achatado, eles têm uma grande dificuldade em respirar e tendem a sofrer com climas secos. Por esse motivo, o tutor deve estar atento aos passeios e exercícios, pois esses precisam ser leves e não muito longos. A hidratação após as atividades é indispensável.

8 – Cuidados especiais

Suas dobrinhas precisam ser limpas regularmente para evitar assaduras e fungos. Além disso, visitas ao veterinário são essenciais para realizar o check up do animal. Por isso, o pug não é um cachorro ideal para quem não quer gastar muito. Inclusive, seus olhos podem “saltar para fora” quando ele faz alguma força ou pressão, como tentar forçar a coleira, logo, a visita a um veterinário oftalmologista pode ser necessária.

9 – São muito inteligentes

Teimosos sim, inteligentes também! Sua colocação no livro A Inteligência dos Cães, de Stanley Coren, é a de número 57, o que mostra que o pug não precisa de tantas repetições para aprender um comando. Além disso, são muito brincalhões e por isso tendem a solicitar atenção e carinho com mais frequência. Se você busca por um verdadeiro companheiro com muito amor para dar, o pug pode ser uma opção perfeita para você.

10 – A fama chega para todos

O pet mais famoso do mundo animal é um pug chamado Doug. Considerado o “rei da cultura pop”, o cachorrinho coleciona 3 milhões de seguidores no Instagram e já participou de filmes e comerciais. Além disso, o pequeno pug é amigo de várias estrelas de Hollywood.

Fonte: Metropoles

Deixe uma resposta